Buscar: Em:
Pronto para o Dakar 2010
 
07/12/2009

Em janeiro deste ano ele conquistou o primeiro lugar na categoria Maratona até 450cc´no Rally Dakar que aconteceu entre a Argentina e Chile. Faltando um mês para começar novamente a principal prova off-road do planeta Rodolfo Matteis fala em entrevista quais as suas expectativas, metas e o sonho de ainda correr o Dakar no deserto africano. Confira na entrevista!


DA: Como estão seus preparativos para a edição 2010 do Dakar?

Estão bem positivos, acredito que chegarei no Dakar com uma excelente condição física e psicológica. Intensifiquei bastante os meus treinos físicos, com novos exercícios de alta performance. O Sertões desse ano já foi um ótimo treino para o Dakar, acredito que foi a edição mais dura que fiz das cinco que participei. Em outubro, consegui fazer um ótimo treino de cinco dias no Deserto do Jalapão juntamente ao Bike Tour do Avê / Arena. Além de ter sido um treino pesado, foi um maravilhoso passeio.

 

DA: O que tem de novidade no seu equipamento para esta edição do Dakar?

Vou com o mesmo equipamento da edição anterior. Agora estamos na fase de revisão da moto, sendo que o motor será 100% refeito no Brasil.

 

DA: Com a mudança dos principais pilotos para motos de 450cc voce acredita que poderá andar mais perto deles?

Com certeza ajudará bastante, pois nivelará as velocidades de reta, principalmente no Deserto do Atacama. Os pilotos da Super Production ainda terão a opção de trocar dois motores durante a prova, o que significa que esses pilotos podem abusar mais de seus motores.

 

No meu caso, o objetivo é fazer o rali inteiro com o mesmo motor. Por conta disso, tenho que dosar o motor em trechos rápidos, nao podendo usá-lo 100%. Quero vencer a categoria Marathon 450cc novamente.

 

DA: Onde você fez sua pré-temporada?

Deserto do Jalapao, e no mês de Dezembro vou fazer meus treinos na região de Petrópolis, Cabo Frio e Serra da Mantiqueira.

 

DA: Falando em pré-temporada, não vimos você nas principais provas de Rally somente no Sertoes. Não é prejudicial ficar tanto tempo longe de competições, de navegação e do contato com outros pilotos?

A maior parte das provas do calendário nacional são provas de Baja, sem navegação. Nós optamos investir mais em treinos voltados para o rali que tenha navegação. O Dakar é uma competição intensa, muito longa, isso quer dizer que na segunda ou terceira etapa já conseguirei entrar no ritmo para navegar e pilotar a moto.

 

DA: Você já venceu na categoria, por que você decidiu continuar na mesma para este ano?

Foi uma decisão conjunta de toda a equipe. Nós optamos em nos manter nessa categoria, pois a chance de vitoria é maior, embora tenhamos mais necessidade de autocontrole para manter a moto até o final.

 

Além disso, para o nosso patrocinador o Dakar é um ótimo laboratório de testes, e completar um rali de 10.000km com somente um motor comprova-se que o nosso óleo de motor e combustível estão entre os melhores mercado.

 

DA: Provavelmente em 2011 o Dakar deva voltar para África, é cedo para pensar nisso, mas você tem planos de continuar na equipe e enfrentar o autentico Dakar?

Um dos meus dos meus sonhos é competir em terras africanas. Ainda estou com aquela frustração do Dakar de 2008 que foi cancelado devido às ameaças de terrorismo. Dá um friozinho na barriga quando se pensa em Rally na Africa, pois lá os desertos são verdadeiramente no fim do mundo. Já no Atacama sabemos que em um raio de uma distância não muito longa existem estradas de asfalto cortando o deserto. Seria uma experiência incrível conhecer a África sobre duas rodas.

 

DA: Você sente falta de um companheiro de equipe para disputar uma prova como o Dakar? Poderia ser melhor com mais um piloto?

Com certeza um segundo piloto faz a diferença, pois durante todo o rali pode-se haver um trabalho em equipe. Um poderia ajudar o outro em situações de problemas mecânicos, ou ate tirar a peça de uma moto e passar para a outra.

 

Também tem a ajuda em trechos de navegação e dunas pesadas. Seria legal por conta da segurança que um daria para o outro.

 

DA: Quem são seus patrocinadores para esta próxima edição do Dakar?

A Equipe Petrobras Lubrax tem patrocínio da Petrobras, Mitsubishi Motors do Brasil, CCR NovaDutra, e apoio da Mercedes-Benz Caminhões, Pirelli, KTM do Brasil, Renov, BorgWarner, Mahle, Kaerre, Capacetes Bieffe, Sparco América Latina, Motorola e Artfix.

 DA: Quando você embarca para Argentina e qual a sua programação por lá?

Embarco no dia 27 de Dezembro. No dia 28 farei um shake down em minha moto para verificar se tudo está ok. Dia dia 29 e 30 tenho as vistorias técnicas. O dia 31 é o último dia para dar uma relaxada, e entre 01 a 17 tenho 10.000 quilômetros pela frente!


Deixe seu comentário sobre a notícia

Seu nome/apelido:
Seu comentário:
Digite o que você vê na imagem abaixo: *
   

 
Revista Bike Action
Revista Moto Action