Buscar: Em:
SUPERTESTE 450F 2014 - O maior duelo do planeta
 

  Os modelos 2014 da 450cc cross
Ayako Sports  
04/11/2013

 


Desde o ano passado viajamos até os Estados Unidos para participar deste comparativo, com a parceria e patrocínio da Pro Tork. E o nosso piloto de testes, Guilherme Lima, teve o privéligo de andar pela primeira vez nos novos modelos das fábricas. 


 


Neste ano comparamos inicialmente os modelos de 450 cilindradas, isso porque dois modelos 2014 da linha 250cc, a Honda CR 250R e a Yamaha YZ 250F, ainda não estavam disponíveis (as fábricas apenas disponibilizaram modelos pré-produção para testes). As fábricas disponibilizarão esses modelos em breve, e assim que tivermos a oportunidade de realizar o superteste com as 250cc, publicaremos o confronto.


 


Como em todo comparativo, alguns modelos acabam recebendo críticas dos pilotos de testes, afinal de contas estamos comparando cada modelo com suas concorrentes, e todos querem saber como cada motocicleta se comporta no duelo com as suas adversárias. É um confronto cara a cara, para saber qual oferece o melhor conjunto. No final, somente um será escolhido como o melhor modelo do ano. Todos os itens são analisados, não adianta ser a moto mais rápida, vale todo o conjunto – a força e usabilidade do motor, dirigibilidade, funcionamento do sistema de suspensões e freios e outros requisitos que determinam a posição final que cada motocicleta vai conquistar.


 


Claro que o gosto pessoal influencia, e dificilmente será encontrada a motocicleta perfeita. Como disse, todos os modelos têm suas qualidades e, também, deficiências. Se não fosse assim, elas não teriam mudanças a cada lançamento.


 


Procuramos analisar o desempenho de cada item neste superteste, passando realmente o que o piloto sentiu ao pilotar cada modelo. Como disse, dificilmente teremos uma motocicleta completa, sempre é possível melhorar.


 


Quais são as protagonistas deste duelo? Tivemos a oportunidade de acelerar os modelos 2014 da Honda, Yamaha, Kawasaki, Suzuki e KTM, sendo dois modelos deste último, a 450 SX-F e a 350 SX-F. Com esta lista, dá para imaginar que não faltou trabalho e nem bolhas nas mãos do nosso piloto de testes.


 


A pista escolhida foi a Zaca Station, cerca de três horas de Los Angeles. O terreno é um pouco arenoso, estava bem cuidado e tem grandes saltos. Enfim, o local propício para andar com os modelos de 450cc.


 


No ano passado, a Suzuki RM-Z 450 venceu o duelo com uma ligeira vantagem sobre a segunda colocada, a Kawasaki KX 450F, seguida pela Honda em terceiro, Yamaha em quarto, KTM 350 em quinto e sua irmã de 450cc na última posição. E para este novo superteste, qual entre estas máquinas com motores velozes poderia se destacar? 


 


Devemos lembrar que, de todos os modelos testados, somente a Yamaha apresentou um modelo totalmente novo (veja o teste exclusivo da nova YZ 450F na edição 215). Quanto aos demais modelos, somente refinamentos e algumas mudanças. Então, antes de saber como cada modelo se comportou, vamos rever as principais mudanças que essas motocicletas receberam para 2014.


 


O que mudou?


Quando analisamos a nova Honda CRF 450R, notamos pequenos refinamentos e acertos no motor e suspensões, lembrando que o modelo 2013 foi totalmente redesenhado, ganhando novo chassi, braço oscilante, plásticos, duas ponteiras e a revolucionária suspensão a ar (sistema Kayaba PSF), que até hoje levanta controvérsias sobre o seu funcionamento.


 


A mesma situação ocorreu com a Kawasaki KX 450F, cujo último "banho de loja" foi no modelo 2011 e recebeu a suspenão a ar da Kayaba em 2013. Este sistema, o mesmo incorporado na CRF, recebeu críticas no superteste do ano passado, onde os pilotos acharam o funcionamento muito firme. Devemos lembrar também que a Kawasaki tem oferecido acessórios especiais em seus modelos de cross, como aros na cor preta, banho especial no garfo da suspensão, três plugues de mapeamento, controle de largada e parafusos anodizados em azul, coisas que muitos pilotos procuram ter em suas motocicletas originais. 


 


Na Suzuki RM-Z 450, praticamente nenhuma alteração em relação ao modelo anterior. Segundo a própria fábrica, não tem o que mudar em uma motocicleta que vem agradando há tantos anos os pilotos amantes da marca. No entanto, muitos comentam que essa falta de investimento não se deve somente ao bom desempenho dos seus modelos - confirmado nas vitórias dos comparativos do ano passado, tanto nas 450cc como nas 250cc -, mas também à crise econômica mundial. A imprensa internacional informa que a fábrica que mais sentiu a crise foi a Suzuki, sentimento fortalecido depois que os investimentos em competições foram praticamente reduzidos pela metade – basta lembrar do cancelamento da equipe off-road nos Estados Unidos e da parceria da fábrica com a Yoshimura, que montou uma equipe no AMA Supercross e Motocross somente com o piloto James Stewart.


 


Seus modelos continuam praticamente os mesmos há uns quatro anos. As novidades ficaram restritas aos plugles de mapeamento (como na linha da Kawasaki) e suspensão Showa SFF (igual à existente na KX 250F, com um lado do garfo tradicional - com mola e o óleo - e o outro lado somente com mola) – para muitos, o sistema mais eficiente, até quando comparado com o sistema a ar da Kayaba. Mesmo somente com essas novidades, elas pesam na hora da decisão da compra.


 


E quanto a fábrica austríaca, o que a KTM trouxe de novidade em seus modelos de 450cc e 350cc? No primeiro, a lista também não é extensa, e podemos destacar a nova carcaça de motor (com a eliminação da parte onde o pedal de partida era instalado), e novos cabeçote, pistão e molas do sistema de embreagem. Já na 350F, nada de diferente, apenas algumas alterações, que foram incluídas em toda linha de cross (inclusive na 450cc): nova bomba de combustível (a mesma da linha de enduro, que se mostrou mais eficiente), manete de freio, guia de corrente, tanque de combustível com maior capacidade (7,5 litros) e nova tampa do tanque. Mas vale destacar que a KTM é a única marca neste comparativo que oferece em suas motocicletas a partida elétrica e a embreagem hidráulica, dois itens desejados praticamente por todos os pilotos de motocross do globo.


 


E a vencedora é...


Depois desse resumo de mudanças, vamos acompanhar a performance de cada modelo e a respectiva posição neste novo comparativo. Para isso, passamos a palavra a Guilherme Lima.


 


"Pelo segundo ano consecutivo, tive a oportunidade de participar do Superteste, realizado nos Estados Unidos. No ano passado, andei somente nas motocicletas de 250cc, pois o comparativo com as 450cc seria realizado somente dois meses depois, já que a nova Honda CRF 450R só foi disponibilizada em novembro. 


 


Neste ano aconteceu o contrário, pois as totalmente renovadas Honda CRF 250R e a Yamaha YZ 250F serão disponibilizadas em novembro. A pista também foi outra, Zaca Station, ao norte de Santa Bárbara. Eu gostei muito da pista, com alguns grandes saltos, muito rápida e técnica.


 


Viajei para Los Angeles na companhia do amigo Wilson Sato, e depois de quase quatro horas de estrada, chegamos em Buellton, cidade próxima do local do teste por volta das 18 horas. Jantamos junto com os demais pilotos do teste e fui descansar, pois teríamos somente um dia para acelerar as seis motocicletas.


 


No dia seguinte, por volta das 8 horas e depois de um saboroso "breakfast", nos dirigimos para a pista. No local já estavam os furgões das fábricas, com os seus mecânicos e as esperadas motocicletas. Como de praxe, cada piloto recebeu atenção para os ajustes necessários a cada troca de moto.


 


Iniciei o teste com a KTM 450 SX-F, que mostrou ter bom motor e freios, mas ficou devendo um pouco na dirigibilidade, talvez seu item menos favorável. Montei na 350 SX-F em seguida. Como a irmã maior, o motor é muito potente, bem próxima das 450cc, e novamente encontrei bons freios e a achei um pouco mais maleável e ágil que a 450 SX-F, talvez por ser mais leve. 


 


Sem refresco, passei para as motocicletas japonesas. Escolhi primeiro a Suzuki, que manteve as características do modelo anterior. O pacote continua competente: gostei do motor, suspensões, freios e dirigibilidade, mas pareceu ser a mais pesada de todas, perdendo agilidade e prejudicando um pouco a pilotagem, apesar de agarrar bem nas curvas.


 


A Honda CRF 450R foi a próxima da lista. Como já tinha acelerado o modelo do ano passado e a versão 2014 teve poucas mudanças, me senti mais à vontade com ela. Achei que continua faltando um pouco de força no motor. Depois de andar com todos os modelos, tive certeza que a Honda é a mais fraca, o que prejudicou a sua classificação.


 


Restavam somente duas, a Kawasaki KX 450F e a Yamaha YZ 450F. Vice-campeã do comparativo do ano passado e o único modelo que mudou completamente, estava ansioso para andar na YZ-F.  Escolhi primeiro a Kawasaki, que se comportou muito bem em todos os itens. Tem tudo de bom: maneabilidade, agilidade, freios, tudo. E o motor é o mais forte da categoria, mas ainda progressivo e linear. 


 


Para fechar o dia, acelerei a Yamaha, e posso dizer que valeu a pena deixá-la por último. Ela está mais ágil e aparenta estar mais leve, apesar da dianteira ainda dar pequenas escapadas nas entradas de curva. O motor é bem progressivo, e realmente fiquei impressionado com o seu comportamento.


 


Bom, para matar logo a curiosidade de qual modelo apresentou o melhor comportamento geral, e como tenho que escolher somente um, neste ano a Kawasaki venceu as suas adversárias, por apresentar um pacote melhor.


 


Como vice, com certeza coloco a Yamaha. Ela melhorou bastante, mas ainda ficou devendo nas entradas de curvas. A Honda, apesar do motor mais fraco, coloco na terceira posição, por ser bem ágil e ter boa suspensão. Na sequência ficou a KTM 350 SX-F, muito próxima da Honda. A moto laranja mostrou ser muito ágil e muito fácil de pilotar, e com as respostas progressivas e rápidas do motor.


 


Na quinta posição vem a Suzuki. Apesar de vencer no ano passado, ela não acompanhou as mudanças das concorrentes e se mostrou um pouco mais difícil de pilotar. Chegou a hora do modelo receber novidades. Na última posição, a 450cc da KTM, por não ser tão ágil como as demais.


 


Neste ano, a equipe utilizou um transponder em cada motocicleta, e cada piloto pôde acompanhar os seus tempos. O meu melhor tempo foi com a Honda, com 1min46s4, seguida pela Suzuki (1min47s5), Yamaha (1min47s6) e Kawasaki (1min47s7), as três últimas com os tempos muito próximos. Depois vieram as KTMs: 1min48s3 com a 350cc e 1min48s8 com a 450cc. Isso comprova o que sempre é dito aqui, que nem sempre o modelo que tem o melhor comportamento ou que tem o motor mais potente é o mais rápido na pista.


 


De qualquer forma, foi muito prazeroso participar deste Superteste. Agora é esperar mais um ano para participar novamente desta grande aventura", finalizou Guilherme.


 


Portanto, a Kawasaki retoma a coroa de campeã. Seria este o motivo do forte domínio de Ryan Villopoto nos campeonatos americanos? Em parte, acho que sim. Mas devemos lembrar que ele anda com motocicletas Kawasaki desde a época em que corria no Amador, e isso deve contribuir para uma tocada confiante, fazendo com ele praticamente "faça parte" da motocicleta. De qualquer forma, a KX venceu pelas suas enormes qualidades e, com certeza, tudo isso faz a diferença para um profissional. 


 


Mas tenho que ser sincero: não esperava a Yamaha em segundo lugar. Havia uma certa expectativa, pois recebíamos sinais de evolução, basta acompanhar o teste exclusivo que apresentamos na edição 215, onde o piloto confirmou que o modelo melhorou muito.


 


A Honda vem algum tempo no top 3, posição que manteve novamente, mas é preciso melhorar o comportamento do motor – tanto que a 350 da KTM ficou bem próximo dela, segundo o nosso piloto de testes. 


 


A Suzuki, por sua vez, realmente precisa inovar; afinal de contas, são mais de quatro ano sem mudanças significativas. Por fim, apesar das diversas mudanças solicitadas pelo americano Ryan Dungey quando assinou com a KTM, a 450 de série ainda não se mostrou tão eficiente. Mas vale lembrar o modelo garantiu o segundo lugar em um comparativo realizado por uma revista americana no ano passado.


 


De qualquer forma, tenha certeza que todas as motocicletas são maravilhosas, que as diferenças entre elas são pequenas e que você mesmo pode realizar mudanças, como preparações e ajustes, que podem melhorar muito o comportamento do modelo. Mas quando o assunto é original, neste ano levou a Kawasaki! 


 


Agora vamos esperar o Superteste dos modelos de cross de 250cc que será publicado em nossa edição de dezembro, para saber quem vai levar o primeiro lugar. Até lá!


 


 


Resultado


1 – Kawasaki KX 450F 


2 – Yamaha YZ 450F


3 – Honda CRF 450R


4 – KTM 350 SX-F


5 – Suzuki RM-Z 450


6 – KTM 450 SX-F


 


 

Fotos
A vencedora KX 450F  
Ayako Sports  
nova YZ 450F surpreendeu  
Ayako Sports  
A Honda ficou devendo no motor  
Ayako Sports  
A KTM 350F quase empata com a Honda  
Ayako Sports  
A Suzuki precisa mudar  
Ayako Sports  
A lanterninha, KTM 450F  
Ayako Sports  

Últimos comentários deixados

19/11/2013 - 14:16 - piloto de moto cross
pra mim ktm é melhor

27/12/2013 - 16:00 - piloto de mx1
ficou show a kawasaki em

04/06/2014 - 16:25 - alex da silva santos.rapadura.
sou apaixonado pela hoda 450,pena qe nao ten no mercado pra conprar e uma vergonha para honda nao ten a moto e nenhuma revenda no brasi.ja estamos no mes 6.e nada.gostaria de saber porqe...

01/12/2014 - 14:52 - jayron broawn
como ja pilotei uma 450 da Honda na verdade concordo com o piloto pois ela não esta bem preparada pra assumir a primeira colocação,pois vibra muito nas mão quando em alta velocidade mais potencia eu gostei muito motor só anda disparado grande cavalo do cão essas motos 450.

14/01/2015 - 19:28 - sharbetton dhyell pestinha cross
eu prefiro a 450,mais como ela vibra muito quando eu estou pilotanto, mais a 450 em pôtencia ela e ,muito boua.eu gostei do estilo da kawasaki e da sua potencia tambem.dia 28 de fevereiro vai ter rally na minha cidade ai vai ser o tempo q eu vou saber se a ktm e boua\\r\\n

02/11/2015 - 22:14 - Leo
A Ktm é a melhor sem dúvida....já andei em todas tbm\\r\\nKtm 350 sxf

21/03/2016 - 21:57 - sérgio motopeças
Como foi dito no filme velozes e furiosos, o que vale é quem chega primeiro seja por um milímetro ou um kilômetro . Ando de honda graças a Deus.


Deixe seu comentário sobre a notícia

Seu nome/apelido:
Seu comentário:
Digite o que você vê na imagem abaixo: *
   

 
Revista Bike Action
Revista Moto Action